Banner Blog

Revolucione seu conhecimento.

Fusão de empresas: entenda como funciona esse processo

Quem aí se lembra quando a Perdigão e a Sadia se fundiram e formaram a Brasil Foods? Pois é, transações como a fusão dessas duas empresas ocorrem todos os dias em todo o mundo e pelas mais variadas razões.

Se você ainda não sabe o que significa a fusão de empresas, não se preocupe. Preparamos esse artigo para te explicar como funciona esse processo.

Então vamos lá? Boa leitura!

O que é a fusão de empresas?

A fusão é uma operação societária na qual se “unem duas ou mais sociedades para formar uma sociedade nova, que lhes sucederá em todos os direitos e obrigações”, conforme consta no artigo 228 da Lei das Sociedades por Ações (6.404/1976).

Logo, ao fundir duas ou mais sociedades, todas elas se extinguem e transferem de forma integral todo o seu patrimônio para dar lugar à uma nova sociedade com personalidade jurídica e identidade nova e distinta das empresas que lhes deram origem. A nova sociedade será composta pela soma dos patrimônios das empresas fusionadas, sendo seu capital social integralizado com bens, direitos e obrigações advindos das sociedades que lhes deram origem. Não confunda a fusão com a incorporação em que uma empresa deixa de existir, mas a incorporadora se mantém, ok?

No Brasil, quem supervisiona as fusões é o CADE. Em geral, os passos seguidos para a fusão são: a análise das necessidades e das possibilidades; a seleção e a negociação, as auditorias e as avaliações, a elaboração dos documentos necessários, a obtenção das autorizações estatais necessárias, a aprovações dos sócios, o arquivamento na Junta Comercial e a publicação, os registros e as inscrições complementares, as celebrações e as mudanças de contratos e o pós-operação. Além disso, a fusão é avaliada pelo valor contábil e de mercado.

Em geral, a fusão ocorre entre empresas com porte semelhante, que atuam no mesmo setor e com a mesma atividade-fim. Além disso, o controle da nova empresa é feito pela maior ou mais próspera entre as empresas envolvidas. Mas isso não é regra, viu?

A fusão é um processo de mudança para todas as partes envolvidas. Isso porque, apesar da nova empresa continuar com as obrigações e as responsabilidades de suas originárias, ela não necessariamente, seguirá os mesmos processos. Faz sentido, não é?

ilustracao-do-que-e-uma-fusao-de-empresas

Os tipos de fusão 

Conforme os objetivos ou as empresas envolvidas, as fusões podem se dar de 5 formas diferentes. São elas:

  • A Fusão Horizontal: quando as empresas fundidas são do mesmo setor ou da mesma indústria e, em geral, concorrem entre si. Nesse caso, o objetivo é aumentar a participação de mercado, ganhar escala e representatividade;
  • A Fusão Vertical: quando as empresas são de negócios diferentes, mas são complementares. Nesse caso, as empresas podem não ser concorrentes diretas, mas operam em diferentes níveis dentro de uma mesma cadeia produtiva, buscando maior controle sobre a mesma, bem como, a criação de soluções conjuntas;
  • A Conglomeração: quando as empresas têm atividades diferentes e não relacionadas com o objetivo de diversificar o risco e aproveitar as oportunidades de investimento;
  • A Extensão de mercado: quando as empresas produzem os mesmos produtos, mas para mercados diferentes. O objetivo é ter acesso a um mercado maior;
  • A Extensão de produto: quando os produtos das empresas têm certa relação e operam no mesmo mercado com o objetivo de agrupar produtos e acessar mais consumidores e oportunidades.

Entendeu? Ótimo! Agora vamos ver porque duas ou mais empresas se fundem. Vamos lá?

Por que duas ou mais empresas decidem fazer uma fusão?

A fusão de empresas é muito usada como uma estratégia para crescer. Ao juntar os esforços em uma única frente de negócios, a fusão cria uma empresa que, com a sinergia de todas as partes, se torna mais forte do que se ambas operassem sozinhas. Assim, o potencial de crescimento se torna maior, bem como, as empresas se tornam mais fortes para lidar com os concorrentes, enfrentar crises, aproveitar melhor as oportunidades de mercado e reduzir os riscos ao tomar decisões mais estratégicas.

foto-de-dois-homens-dando-as-maos-e-firmando-contrato-de-fusao-de-empresasOperações societárias, no geral, são usadas de forma estratégica em diversos momentos da vida empresarial, seja para driblar momentos de crise, acelerar o crescimento de empresas, aumentar a competitividade, melhorar e ampliar as condições de atuação e as oportunidades de mercado, diversificar as atividades, aumentar receitas, reduzir gastos e riscos, facilitar a captação de recursos, gerar sinergia e ganhos mútuos.

A fusão permite que as empresas compartilhem recursos e conhecimentos, permitindo que entendam as tendências do mercado, se coloquem a frente, se diversifiquem e inovem sempre.

Por mais versátil que um negócio possa ser, inevitavelmente, ele acabará focando em um certo nicho. Isso limita sua posição e suas chances de atuação. Com a fusão, dois ou mais negócios conseguem ampliar seu horizonte de atuação, bem como, a abrangência de suas marcas, o que torna a nova empresa ainda mais robusta para atingir ainda mais pessoas.

Assim, a empresa aumenta suas chances de venda e suas receitas, em especial, porque tem uma capacidade de mercado ainda maior.

Vale destacar que a sinergia da fusão permite otimizar processos, eliminar desperdícios e gargalos, gerar uma estrutura mais enxuta e reduzir gastos e riscos, o que a faz ficar a frente de seus concorrentes. O objetivo é que a fusão apresente resultados maiores do que apenas a soma das empresas fundidas.

As dificuldades no processo de fusão de empresas

Já era de se esperar que o processo de fusão enfrenta certas dificuldades, não é mesmo? Afinal, ele representa a união de duas ou mais empresas e a criação de uma empresa nova.

A primeira dificuldade está na união em si de duas ou mais empresas, afinal, cada uma toca seus negócios de uma forma e, com a fusão, ambas terão que se alinhar. Isso obriga todos os colaboradores a encontrarem uma nova forma de operar, juntos, que uma o melhor de cada uma das antigas empresas.

Porém, essa nova forma pode não agradar a todos, podendo originar resistências. Além disso, cada empresa tem sua própria cultura, visão e objetivos e é comum que isso seja diferente entre empresas. Na fusão, as culturas também devem se fundir e os objetivos devem ser comuns. Esse choque inicial exige um tempo de adaptação. Faz sentido, não é mesmo?

Vale destacar que o processo de fusão é complexo e demorado, mas ele não pode interromper as atividades das empresas. Apesar das intensas mudanças, é preciso manter o ritmo de produtividade. Para isso, é fundamental acompanhar de perto os resultados e fazer as mudanças necessárias.

As dicas para uma fusão de sucesso

foto-de-pessoas-firmando-acordo-de-fusao-de-empresasPara que a fusão seja bem-sucedida, algumas boas práticas podem ser muito bem-vindas. É muito importante que tudo seja muito bem planejado e definido antes da fusão, de fato, ocorrer. Por isso, faça acordos claros que evitam ao máximo os imprevistos e objeções. Neles, defina a contribuição de cada empresa, como os processos vão ser feitos, em quanto tempo e quais os resultados desejados. Além disso, não se esqueça de atribuir as devidas responsabilidades.

Além disso, como as mudanças são radicais em um processo de fusão, tenha uma comunicação clara e esteja aberto a ouvir todos os envolvidos para evitar inseguranças, receios e resistências de todos os colaboradores. Envolva todos eles, mostre as vantagens da fusão, assegure-os sobre o futuro da empresa e engaje todos os envolvidos. Nesse aspecto, vale dedicar um tempo para integrar pessoas à nova cultura e estimular o trabalho coletivo. Não tenha pressa, dê tempo ao tempo. Com todos os colaboradores integrados será possível apresentar os novos processos de forma facilitada, já que todos estão alinhados e trabalham por um objetivo comum.

Por fim, ressaltamos a importância de fazer a avaliação das empresas envolvidas que consiste no cálculo para estimar quanto vale uma empresa através de métodos que analisam a situação financeira da empresa, bem como, seus planos de crescimento.

Por que fazer a avaliação de empresas no processo de fusão?

Com um laudo de avaliação de empresas em mãos, você abre um leque de oportunidades na sua vida empresária, não só no momento da venda da empresa, mas também, para sua gestão e tomada de decisão, o que pode permitir que sua empresa aproveite uma oportunidade de fusão.

Quando a proposta de uma fusão bater na porta da sua empresa, você estará preparado e com um laudo de avaliação em mãos, para fazer uma negociação justa e com base no quanto vale sua empresa.

Além disso, a fusão, assim como qualquer outra operação societária, traz mudanças substanciais na empresa. Isso exige que todas as partes envolvidas tenham conhecimento pleno sobre o valor da empresa, seus direitos e deveres.

E a BuyCo. pode te ajudar. Criamos uma ferramenta 100% online e baseada em algoritmos de inteligência artificial para calcular, em apenas 5 minutos, o valor da sua empresa de forma precisa, rápida, segura, comprovada e muito acessível. Contamos com o suporte de profissionais especialistas em avaliação de empresas, além de usarmos um método próprio que pondera 5 métodos de cálculo com base em 54 perfis de empresas e já ajudou centenas de empresários a descobrirem o valor justo de suas empresas.

E aí, quer saber mais? Para isso, clique abaixo:

QUERO SABER QUANTO VALE MINHA EMPRESA!

Caso sua empresa tenha um porte maior, não se preocupe. A BuyCo. já criou soluções para te atender. Quer saber mais? Então é só clicar aqui e entrar em contato!

anunciar-minha-empresa

Como anunciar minha empresa para a venda?

Múltiplo de EBITDA: o que é e como usar no Valuation

Fluxo de Caixa Descontado (FCD): o que é, para que serve e como calcular