Banner Blog

Revolucione seu conhecimento.

COVID-19: o que podemos aprender com a pandemia para aplicar no processo de venda de empresas

Hoje o nosso artigo será um pouco diferente! Vamos comparar o processo de venda de uma empresa com a COVID-19, responsável por um colapso global na saúde, na economia e na sociedade. Afinal, toda situação que passamos nos permite obter lições, não é mesmo?

Com certeza, entre as principais coisas que você tem ouvido no ano de 2020, as palavras pandemia, COVID-19, coronavírus estão entre elas, não é mesmo? Esta é uma crise sem precedentes, uma pandemia que está atingindo mais de 115 países no mundo e que causa os mesmos ou piores colapsos por onde passa. Sem dúvida nenhuma, esse será um dos grandes destaques negativos do século 21, não é mesmo?

Como sabemos, a pandemia do COVID-19 é uma doença aguda causada pelo coronavírus. A doença surgiu pela primeira vez em Wuhan, na China, em 01/12/2019, e o primeiro caso foi 30 dias depois. Assim, em 11 de março de 2020, a OMS declarou o surto, uma pandemia. Até hoje, 31/03/2020, pelo menos 803 mil pessoas se infectaram e mais 40 mil não resistiram e acabaram morrendo ao redor do mundo.

Então vamos ao artigo para comparar a venda de uma empresa com a COVID-19? Boa leitura!

Mas, o que o COVID-19 tem a ver com a venda de empresas?

foto-de-homem-se-questionando-a-relacao-entre-covid-19-e-a-venda-de-empresasPor incrível que pareça, podemos encontrar semelhanças e lições na pandemia do COVID-19 quando a comparamos com o processo de venda de uma empresa. Afinal, temos que tirar algumas lições disso tudo, não é mesmo?

Alguns exemplos são as imprevisões no cenário econômico, a compulsão de compradores para certo ativo e a própria sinergia entre o comprador e o vendedor. Assim como a doença que alastrou e atingiu todos continentes, na venda de empresas, nem tudo é previsto devido à complexidade e aos fatores externos que atuam de forma direta no processo. Faz sentido, não é mesmo?

Abaixo, listamos as nossas principais lições. Então vamos lá?

1º – A atenção aos Pequenos Sinais

Assim como estamos vivendo o colapso da pandemia, antes mesmo de se alastrar por mais de 115 nações do mundo, ficou claro para a China em dezembro de 2019 que os possíveis riscos poderiam perder o controle, não é mesmo?

A palavra certa é a prevenção!

E a prevenção sempre vem junto de preparação. No caso do COVID-19, se todos tivessem se prevenido, sem desmerecer os riscos da doença, sem dúvida, os resultados seriam outros.

Isto também é válido para a venda de empresas, como, por exemplo: preparar as premissas, entender com agilidade quando o cenário está crítico, estudar com cuidado o passado da empresa, desenhar os possíveis cenários para as projeções futuras, analisar as sensibilidades da empresa e, claro, saber o momento e o valor certo para anunciar ao mercado o negócio.

QUERO SABER QUANTO VALE MINHA EMPRESA!

O tempo é algo crítico. O COVID-19 demorou para ser anunciado em suas devidas proporções ao mercado e perdeu o tempo de um possível controle. Ao trazer isso para o contexto da venda de empresas, vemos que, muitas vezes, os empresários seguram o negócio, mesmo sabendo que já estão com tantos motivos pessoais para sair da empresa. Assim, eles acabam postergando pequenos sinais e quando se dão conta, o caos está instalado na empresa, exigindo uma venda imediata e sem as devidas preparações.

A China foi o país responsável por todo o anúncio e planejamento referente a pandemia, no qual ele identificou as possíveis chances de alastro e as fraquezas quanto a falta de conhecimento do vírus que poderiam comprometer um sistema global. Ao identificar os riscos e a possível falta do controle, o governo então anunciou para o mundo o problema. Porém, nem todos os países deram a devida atenção. O ponto positivo para a China foi a rápida estratégia de um plano de ação, o que aumentou, assim, as chances de sucesso do seu plano, mas não reduziu o rápido alastro da doença em padrões globais e de ritmo exponencial.

2º – A importância de uma Equipe Multidisciplinar para enfrentar o COVID-19 e para vender uma empresa

foto-de-maos-unidas-simbolizando-uma-equipe-para-enfrentar-o-covid-19Equipe multidisciplinar é, sem dúvida, um dos segredos para o sucesso na venda de empresas. Para garantir o êxito de uma transação, a empresa deve formar uma equipe multidisciplinar para trabalhar em cada parte do processo e para desenvolver as atividades específicas em cada momento.

Quando se monta uma equipe, ocorre uma junção de competências, estilos e habilidades. Isto é, a cada formação de uma equipe, é possível reunir especialistas únicos e fundamentais, com comportamentos, experiências, competências, atuações e outras características que o fazem essenciais em qualquer processo.

Esse aspecto é muito importante, sabendo que será preciso um profissional de Valuation, um especialista em prospecção de mercado, uma equipe de advogados tributarista, trabalhista e societário, contadores, talvez alguém do mercado financeiro para captação de parte do recurso e uma equipe especializada em due diligence para validação dos números.

O que queremos mostrar é que este processo requer um time com diversas especialidades, mas com o mesmo objetivo. Aqui na BuyCo., as equipes e times são diferentes profissionais com a mesma filosofia e propósito.

No caso da contenção da pandemia, visando sua paralisação, os governos reuniram, de forma rápida, as principais habilidades a fim de formar uma equipe multidisciplinar. Podemos citar o time da Saúde. Eles foram os primeiros a entrar no processo para identificar a codificação do vírus, montar equipes e iniciar do tratamento.

Outra equipe fundamental foi a atuação da segurança pública, ao isolar pessoas, fechar fronteiras e tentar preservar a sociedade. Além destes, vários outros como bombeiros, jornalistas e funcionários de serviços básicos como atendentes de farmácias e supermercados que continuam com suas operações. Esses times trabalhando juntos são fundamentais para conter o avanço de mortes nos países. Pena que esse modelo não foi adotado de forma rápida por países como Itália, Espanha e EUA.

3º – A apuração do resultado

Após uma preparação para elaborar a melhor estratégia para um processo de venda de empresa e montar uma equipe para cada etapa de atuação, é hora de apurar os resultados de meses, ou talvez anos de dedicação para vender um negócio, não é mesmo?

No caso da pandemia, temos os números de 5 meses desta catástrofe biológica, e o resultado?

A China já começou a apresentar indícios de uma recuperação após meses de esforços, mas nem todos os países já chegaram nesse momento. Teremos que aguardar para entender como os governos e sociedades estão reagindo e qual o tempo de resposta para a contenção do avanço da doença. Esperamos que a pandemia acabe o mais rápido possível e que isto seja um alerta para pararmos e nos atentarmos aos pequenos indícios. Temos a certeza de que juntos, superaremos isto tudo.

Se as semelhanças continuarem neste ritmo com os processos de venda de empresa, a qualquer momento, por um mínimo deslize ou um imprevisto externo, podemos inviabilizar e acabar com o esforço de um coletivo, não é mesmo?

Por isso, a BuyCo. acredita que a melhor forma de lidar com qualquer situação, é se preparar e seguir orientações de quem entende do assunto. Vamos superar isso tudo juntos!

anunciar-minha-empresa

Como anunciar minha empresa para a venda?

Múltiplo de EBITDA: o que é e como usar no Valuation

Fluxo de Caixa Descontado (FCD): o que é, para que serve e como calcular