Banner Blog

Revolucione seu conhecimento.

Fluxo de Caixa Descontado (FCD): o que é, para que serve e como calcular

Provavelmente, você já ouviu dizer que o dinheiro sofre alterações no seu valor ao longo do tempo, não é mesmo? Com isso em mente, como considerar as variações do dinheiro no tempo na hora de calcular o valor de uma empresa ou o retorno de um investimento, por exemplo? A resposta está no Método do Fluxo de Caixa Descontado (FCD).

Amplamente utilizado para avaliar empresas e verificar o grau de atratividade de investimentos, o Fluxo de Caixa Descontado (FCD) é conhecido mundialmente. Por isso, preparamos este artigo com o objetivo de explicar o que é, para que ele serve e como calcular. Então, vamos lá? Boa leitura!

O que é o Fluxo de Caixa Descontado (FCD)?

O Fluxo de Caixa Descontado, também conhecido como FCD, é uma técnica de orçamento de capital utilizada para determinar o valor presente de uma empresa, ativo, projeto ou investimento com base no dinheiro que pode gerar no futuro. Seu objetivo é trazer a valor presente, mediante uma taxa de desconto, o fluxo de caixa futuro da empresa.

O método parte do princípio de que um investimento gera fluxo de caixa durante determinado período. Ele se aplica em qualquer situação em que você aplica o dinheiro em um ponto e recebe em outro no futuro.

Observamos que o Fluxo de Caixa Descontado considera duas variáveis muito conhecidas no mundo das finanças para avaliar investimentos: o risco e o retorno. Isso porque o método utiliza projeções de fluxo de caixa futuro e taxas de descontos para chegar a uma estimativa de valor presente. Isso permite avaliar o potencial de um investimento, bem como, seus riscos e oportunidades de retorno.

O método é um dos mais utilizados para fazer valuation, tanto no mercado de capitais, quanto nas operações de fusões e aquisições, uma vez que considera a capacidade da empresa em trazer retorno para seus investidores ou compradores.

Entendido! Mas para que ele serve?

Para que serve o Fluxo de Caixa Descontado?

foto-de-pessoas-calculando-o-fluxo-de-caixa-descontado-fcdO Fluxo de Caixa (FCD) é um importante aliado na tomada de decisão dos proprietários de empresas ou dos investidores. Ao utilizar o método, é possível estimar o retorno ou o valor de determinado investimento ou empresa e avaliar oportunidades e ameaças. O FCD mede a geração de recursos no futuro, considerando os descontos do tempo e os riscos assumidos. Incrível, não é?

Vamos pensar no caso de um investimento. Caso o valor obtido no cálculo for maior que seu custo atual, significa que ele pode ser uma boa oportunidade. Mas vale lembrar que não existem garantias futuras e muitos riscos estão envolvidos nas projeções. Isso faz com a realidade seja diferente da estimativa. O mesmo se aplica na avaliação de uma empresa, isto é, no processo de Valuation.

Em um período tão incerto como o que estamos passando, saber o valor de uma empresa abre um leque de oportunidades na vida do empresário, seja para alinhar suas expectativas de valor, captar investidores, analisar propostas de compra e venda, melhorar a gestão, avaliar propostas de alterações societárias ou operações de fusões e aquisições, levantar necessidades de capital, mensurar riscos, projetar cenários e muito mais!

Além disso, o Fluxo de Caixa Descontado é muito utilizado por proprietários de empresas antes de decidirem se farão ou não um investimento na empresa, na escolha entre duas ou mais possibilidades de investimento e na captação de novos investidores, bem como, na elaboração de um planejamento com base na saúde financeira do negócio e no seu histórico para que ele se torne ainda mais valorizado.

Da mesma forma, muitos investidores o utilizam ao calcular o valor da empresa antes de investir em parte do negócio ou em ações da organização, avaliando se é ou não uma boa oportunidade.

Vantagens e desvantagens do método

Há quem enxergue vantagens e desvantagens. Quem o defende, acredita que através dele é possível obter uma imagem precisa do valor de uma empresa. Quem prefere outras metodologias, defende que ele é baseado em projeções ao invés de dados tangíveis, o que pode carregar erro e subjetividade.

Uma grande vantagem é que, através do Fluxo de Caixa Descontado (FCD) é possível reduzir um investimento a valor presente. Caso ele gere um valor positivo, o mesmo será gerador de dinheiro. Caso contrário, o investimento representará perda de dinheiro.

Além disso, diferentes investimentos podem utilizar o FCD, mesmo que tenham prazos e condições diferentes. Isso porque todos serão trazidos a valor presente e o que resultar em maior valor será mais lucrativo. Assim, todos se tornam comparáveis!

Vale destacar que ele é um método mais orientado para o futuro do que para resultados históricos, mas os últimos são fundamentais para fazer projeções mais precisas e realistas. Ademais, fatores externos voláteis tem menor influência sobre ele.

Como vimos, há quem não confie muito no método, pois o mesmo se trata de projeções e estimativas. Por isso, a avaliação só será precisa se as projeções também forem e, caso elas não representem a realidade, o valor estará errado, abrindo muitas possibilidades para erros e subjetividades. Além disso, pequenas alterações poderão significar grandes mudanças nos valores e nada garante que o projetado se concretizará. Por isso, é importante ser conservador no momento da projeção.

Além disso, o método do Fluxo de Caixa Descontado, assim como qualquer outro, produz um número apenas. Por isso, a análise não deve ser isolada. Por isso, ao utilizá-lo no valor de uma empresa, é importante avaliar a negociação de empresas similares para verificar o valor com a realidade através do Método dos Múltiplos, por exemplo.

E como calcular o FCD?

Fórmula do Fluxo de Caixa Descontado

Para calcular o Fluxo de Caixa Descontado (FCD), é preciso seguir alguns passos. São eles:

1º) É preciso estimar o fluxo de caixa futuro da empresa (FC), geralmente, para os próximos 5 anos, isto é, a entrada e a saída de dinheiro da empresa. É possível projetar períodos maiores. Porém, isso depende do nível de previsibilidade da receita e a confiabilidade dos dados históricos.

2º) Depois, é preciso calcular a taxa de desconto que será aplicada com base nos riscos, custos de oportunidade e no custo médio ponderado de capital, isto é, quanto a empresa gasta para adquirir capital.

3º) Adicionalmente, é necessário encontrar o valor presente de todos os fluxos, ou seja, trazer os fluxos estimados a valor presente com base na taxa de desconto calculada.

4º) Por fim, basta utilizar a fórmula abaixo. Vale lembrar que ela é uma versão simplificada e, em alguns casos, é necessário considerar alguns outros fatores:

fluxo-de-caixa-descontado-formula

Para ilustrar, observe o exemplo. Uma empresa espera um faturamento de R$ 100.000,00 no ano 1, R$ 110.000,00 no ano 2, R$ 115.000,00 no ano 3, R$ 120.000,00 no ano 4 e R$ 125.000,00 no ano 5. A taxa de desconto é de 15%.

Ao realizar os cálculos, temos:

Valor da empresa = [100.000/(1,15)^1] + [110.000/(1,15)^2] +  [115.000/(1,15)^3] + [120.000/(1,15)^4] + [125.000/(1,15)^5] = R$ 376.504,17.

No caso de algumas empresas, também é importante considerar no cálculo o valor residual, isto é, o valor estimado dos ativos ao final de suas vidas úteis (período durante o qual o ativo poderá ser utilizado pela empresa) e somar ao final do cálculo. Em alguns casos, também vale considerar a perpetuidade, isto é, calcular o valor de uma empresa considerando os múltiplos fluxos de caixa de maneira eterna, já que as organizações não precisam ter uma data final para existir.

E quando utilizar o FCD?

Quando utilizar?

Como vimos, a avaliação de empresas, investimentos, projetos e ativos utiliza muito o Fluxo de Caixa Descontado. Mas ele se aplica em qualquer caso? Não!

foto-de-pessoas-calculando-o-fluxo-de-caixa-descontado-fcdPara fazer as projeções necessárias no cálculo do método, é preciso lidar com um histórico de dados estável para que as estimativas sejam o mais assertivas possíveis. Por isso, o método se aplica mais às empresas maiores, mais estabelecidas, com geração de caixa positiva, em plena operação e com um histórico considerável de dados.

Para empresas novas, sazonais, startups ou pequenos negócios que não tenham os resultados históricos consolidados, o método não é o mais adequado. E como proceder?

Caso você tenha uma empresa de menor porte, conte com a BuyCo. para avaliá-la. Desenvolvemos uma metodologia própria, comprovada e específica para avaliar micro e pequenas empresas de forma rápida, segura e acessível. Para saber mais, basta clicar no botão abaixo:

QUERO SABER QUANTO VALE MINHA EMPRESA!

Caso sua empresa tenha um porte maior, não se preocupe. A BuyCo. já criou soluções para te atender. Quer saber mais? Então é só clicar aqui e entrar em contato!

E aí, entendeu tudo sobre o método? Ficou com alguma dúvida? Conta pra gente nos comentários. Estamos à disposição!

anunciar-minha-empresa

Como anunciar minha empresa para a venda?

Múltiplo de EBITDA: o que é e como usar no Valuation

valor-da-empresa

Valor da empresa: como calcular e por que fazer o Valuation