Banner Blog

Revolucione seu conhecimento.

Múltiplo de EBITDA: o que é e como usar no Valuation

Como já vimos aqui no Blog, um dos métodos mais utilizados para avaliar empresas é o Método dos Múltiplos. Nele, é feita uma análise comparativa da empresa que está sendo avaliada com outras semelhantes com base em algum múltiplo. Um dos mais utilizados é o Múltiplo de EBITDA. Mas o que é esse múltiplo? Como utilizá-lo? Se você ainda não sabe, não se preocupe!

No artigo de hoje vamos apresentar o Método dos Múltiplos, o que é o EBITDA e, por fim, o Múltiplo de EBITDA especificamente. Então, vamos lá? Boa leitura!

O que é Valuation?

Você sabe o que é Valuation? Mais do que isso, você sabe quanto vale a sua empresa? Ainda não? Então vamos descobrir!

Valuation é o termo em inglês que significa avaliação de empresas, isto é, o processo que tem como objetivo estimar o valor de uma empresa através de métodos quantitativos que analisam a situação financeira de uma empresa e as suas perspectivas de crescimento.

Quais são esses métodos?

Existem diversos métodos para encontrar o valor de uma empresa. A escolha da mais adequada depende de cada empresa. Os mais utilizados a nível global são: o fluxo de caixa descontado, 0 método contábil e o método dos múltiplos, que veremos com detalhes abaixo. Vamos lá?

Antes de falarmos do Múltiplo de EBITDA, vamos entender o que é o Método dos Múltiplos

foto-de-duas-pessoas-comparando-relatorios-do-multiplo-de-ebitda

O Método dos Múltiplos é um instrumento muito utilizado na avaliação de empresas. Seu objetivo é alinhar o valor da empresa com base em uma análise comparativa de valores de outras empresas e que possam refletir realidades parecidas. Mas o que são os múltiplos?

Podemos entender os múltiplos como valores de referência para comparar e avaliar empresas semelhantes de alguma forma entre si. Ao definir um múltiplo, os valores da empresa em análise são confrontados com os dados do mercado de forma a encontrar o valor da empresa de forma comparativa com o desempenho econômico-financeiro de empresas similares. E como funciona o método?

O método é, então, baseado em valores relativos. Por isso, é usado quando existem ativos comparáveis similares, pressupondo que seus valores devem ser próximos e quando é necessária uma análise rápida e fácil.

O método é simples, rápido e fácil. Porém, seu uso deve ser feito com cautela. É preciso definir quais empresas são de fato comparáveis, bem como, eliminar os valores fora da curva para não distorcer o resultado.

Além disso, é preciso que padronizar valores, o que nem sempre é simples de se fazer. Isso porque que é difícil encontrar empresas iguais e, em muitos casos, pode ser que os dados das empresas não sejam públicos. Por isso, a falta de confiança dos dados disponibilizados e as especificidades de cada empresa podem tornar o método pouco assertivo em alguns casos. O que fazer?

O ideal, como já falamos aqui no Blog, é utilizar o Método dos Múltiplos junto com outros para reduzir a margem de erro, bem como, considerar alguns outros aspectos que são descartados nessa análise, como: os diferenciais competitivos, os estilos de gestão, o modelo de negócios, a taxa de crescimento, entre outros.

Entendido? Vamos continuar!

Como calcular o valor de uma empresa através do Método dos Múltiplos?

Antes de mais nada, como calcular um múltiplo?

Para encontrar um múltiplo, é preciso dividir dois fatores. O valor de mercado será o numerador, e a variável que gerou a relação comparativa entre as empresas, o denominador, como demonstra a fórmula abaixo:

MÚLTIPLO = VALOR DE MERCADO/VARIÁVEL

O que seria essa variável?

Diversas são as variáveis que podem ser utilizadas. Alguns exemplos: o lucro líquido, o faturamento e o EBITDA, que veremos com detalhes abaixo.

foto-de-mulher-analisando-relatorio-de-multiplo-de-ebitdaAo determinar um múltiplo, gera-se uma faixa de valor que o mercado estaria valorando os ativos. Mas como utilizar o múltiplo?

Conforme a variável escolhida, basta multiplicar o múltiplo e encontrar o valor aproximado da empresa. Assim, cada múltiplo gera uma faixa. Cabe ao avaliador determinar qual deles se aplica em determinado caso. Simples, não é?

Porém, existem alguns cuidados. É importante destacar que o método não se aplica às empresas novas ou startups que são novas e inovadoras e, portanto, não podem ser comparadas. O método também não se aplica às empresas de pequeno porte, uma vez que, diferentemente das empresas de grande porte que tem seus dados divulgados de forma pública, é difícil encontrar dados de MPEs.

Além disso, não é ideal usar como referência os múltiplos de outros países. Isso porque cada país tem suas particularidades que podem resultar em diferenças.

Agora vamos para o EBITDA! O que é? Como calcular? O que isso tem a ver com os múltiplos?

O que é e como calcular o EBITDA?

EBITDA é a sigla para “Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization” que significa Lucros Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização (LAJIDA). 

Podemos entendê-lo como um indicador financeiro que representa a capacidade de geração de caixa operacional de uma empresa. Isto é, quanto uma empresa gera de recursos através de suas atividades operacionais, sem considerar efeitos de impostos, investimentos financeiros, depreciação, empréstimos e financiamentos.

Investidores e empresas utilizam muito o EBITDA. Através dele é possível analisar balanços, descobrir o potencial de geração de caixa futuro, analisar o potencial de pagamento de contas e determinar a evolução da produtividade, da competitividade e da eficiência da empresa.

Além disso, com o EBITDA é possível conhecer o desempenho financeiro e não financeiro dos negócios ano a ano em termos de fluxo de caixa, analisando além do resultado final da empresa, bem como, comparando com outras empresas.

Para calcular o EBITDA é necessário descobrir o lucro operacional da empresa, que resulta da subtração, a partir da receita líquida, do custo das mercadorias vendidas, das despesas operacionais e financeiras líquidas. Depois, é preciso somar o lucro operacional, a depreciação e a amortização inclusos no custo da mercadoria vendida e nas despesas operacionais. Isso porque elas não representam uma redução efetiva do caixa.

Outra forma de calculá-lo é começar pelo lucro líquido da empresa e somar o imposto de renda e a contribuição social (IR+CSLL), o resultado financeiro líquido, a depreciação e a amortização. Todos esses dados estão na DRE.

Uma análise simplificada permite dizer que, se o EBITDA aumenta, significa que a empresa está eficiente e produtiva. Se ele diminui, ela está enfrentando problemas no seu crescimento. Por isso, ele é um indicador muito usado não só para a gestão da empresa, mas por investidores e compradores que desejam adquirir uma empresa.

Vantagens do EBITDA:

O EBITDA é um indicador confiável para a tendência de lucros da atividade principal da empresa. Além disso, como vimos, ele permite analisar com clareza a produtividade e a eficiência da empresa, mostrando sua capacidade e sua competitividade em comparação com outras empresas.

Seu uso vem sendo disseminado por diversas razões. Algumas delas são:

– É mais difícil calcular a geração de caixa detalhada de uma empresa, pois é necessário contar com o fluxo de caixa descontado;

– Com a internacionalização dos mercados, os analistas tendem a usar indicadores mais padronizados e o EBITDA não considera os efeitos de depreciação e de impostos que são distintos entre países;

– O EBITDA é menos volátil do que o lucro líquido.

Da mesma forma que existem vantagens, existem desvantagens. Vamos lá!

Desvantagens do EBITDA:

Apesar de ser um indicador amplamente utilizado, ele tem suas limitações. Uma delas é que ele pode oferecer uma falsa noção da efetiva liquidez da empresa, pois é possível ter um EBITDA positivo em uma empresa com prejuízo líquido.

Além disso, o EBITDA não deixa claro qual será o reinvestimento necessário nos ativos nos próximos anos, o que também distorce a saúde financeira da empresa. Por isso, é importante usar o EBITDA junto com outros indicadores para não depender apenas dele. Faz sentido, não é?

Então, já está sabendo tudo sobre o EBITDA? Agora vamos aplicá-lo ao método dos múltiplos!

Agora sim, o que é o Múltiplo de EBITDA?

Já entendemos o que é o Método dos Múltiplos, como calcular um múltiplo e o que é o EBITDA. Agora é hora de conhecer o Múltiplo de EBITDA. Então, vamos lá?

Como vimos, um múltiplo pode utilizar diversas variáveis. Uma delas, que é a mais utilizada em Fusões e Aquisições, é o EBITDA. Logo, na fórmula que vimos acima, ao inserir o EBITDA, ela ficaria assim:

MÚLTIPLO = VALOR DE MERCADO/EBITDA

Muito utilizado no processo de avaliação de empresas, o Múltiplo de EBITDA utiliza como base o EBITDA do último ano da empresa, e o multiplica pelo múltiplo gerado conforme o setor de mercado para encontrar o valor da empresa. Faz sentido, não é?

Para entender melhor, um Múltiplo de EBITDA de 6x significa que a empresa vale o equivalente a 6 anos de geração de caixa operacional, considerando os resultados anteriores.

foto-de-pessoa-analisando-planejamento-diante-das-perspectivas-para-2021Diante disso tudo já tiramos uma conclusão: o método dos múltiplos acaba por considerar o resultado histórico da empresa e ignorar as perspectivas de crescimento futuras do negócio no momento de valorar a empresa, podendo não ser o melhor método para alguns tipos de negócio. Mas, por considerar o percentual de recursos que a empresa gera através de suas atividades operacionais, consegue medir a produtividade e a eficiência de seus processos, auxiliando na venda, mas também na gestão da empresa. Ademais, ele é muito versátil.

Além disso, ele parte da hipótese de que duas empresas do mesmo setor, de características semelhantes deveriam ter múltiplos semelhantes. Porém, mesmo dentro do mesmo setor, elas podem ser muito diferentes. Mas sua facilidade de cálculo justifica sua ampla utilização, mesmo que o EBITDA não contenha todos os dados para avaliar uma empresa, sendo necessário utilizar outros métodos para aumentar a precisão.

Como escolher o Múltiplo de EBITDA?

A escolha do Múltiplo de EBITDA vai depender do setor de atuação da empresa, da situação econômica do país, dos humores de investidores, do porte e das características das empresas.

Uma forma de encontrar o múltiplo adequado para o cálculo seria consultar outras transações realizadas no mesmo setor e identificar os múltiplos utilizados. Faz sentido, não é?

Para ilustrar, vamos pensar em uma empresa do setor de hotéis. Caso o EBITDA seja menor do que R$ 5 milhões, o múltiplo é estimado em 4. Caso o EBITDA seja superior, o múltiplo pode variar entre 6 e 8, por exemplo. Afinal, quanto maior o EBITDA, mais valorizada será a empresa.

Por isso, o ideal é contratar um especialista em Avaliação de Empresas. Caso ele utilize o método dos múltiplos, ele será capaz de determinar a melhor variável que representa o cenário da empresa e qual será o valor usado.

Você já conhece a BuyCo.? Somos uma empresa especialista em avaliação de empresas e contamos com o suporte de consultores qualificados e preparados para te ajudar a descobrir quanto vale sua empresa. Para saber mais sobre o método BuyCo., basta clicar no botão abaixo:

QUERO SABER QUANTO VALE MINHA EMPRESA!

Caso sua empresa tenha um porte maior, não se preocupe. A BuyCo. já criou soluções para te atender. Quer saber mais? Então é só clicar aqui e entrar em contato!

E aí, ficou com alguma dúvida? Conta pra gente. Estamos à disposição para te ajudar. Além disso, sempre que precisar avaliar sua empresa, conte com a BuyCo.!

anunciar-minha-empresa

Como anunciar minha empresa para a venda?

Fluxo de Caixa Descontado (FCD): o que é, para que serve e como calcular

valor-da-empresa

Valor da empresa: como calcular e por que fazer o Valuation