Banner Blog

Revolucione seu conhecimento.

Pequeno negócio: 8 dicas para sobreviver em meio à crise

Atualmente, as coisas estão mudando em uma velocidade recorde, não é mesmo? No começo do ano estávamos fervorosos com os indícios de melhora da economia do Brasil e tínhamos em mente bater as metas e manter lucros acima da média e, neste atual momento, estamos pensando em como não fechar o mês no vermelho ou, simplesmente, como sobreviver diante desta grande crise. Então, o que resta ao pequeno negócio? Ser resiliente!

O que isso significa? A resiliência é a capacidade de o indivíduo lidar com problemas, adaptar-se a mudanças, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas, como é o caso das crises. Assim, a situação que estamos vivendo em todo mundo é uma dessas adversidades que temos que aprender a lidar, por mais difícil que pareça.

De acordo com um mapeamento realizado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), os setores mais impactados são: alimentação fora do lar, construção civil, moda e varejo tradicional. Segmentos de serviços educacionais, logística, transporte e tecnologia também estão com o alerta ligado. Conforme dados da CNDL, a estimativa é que o setor do comércio e dos serviços tenha impacto negativo superior a R$ 100 bilhões nos próximos meses.

Ok, as coisas estão bem difíceis, mas não podemos nos desesperar. A crise é o melhor momento para revermos as estratégias, traçarmos novos planos e sairmos ainda mais fortalecidos. Por isso, separamos algumas dicas para que o seu pequeno negócio sofra o menos possível com todo esse cenário.

Então vamos lá? Boa leitura!

Como um pequeno negócio pode sobreviver em meio à crise?

Você provavelmente está preocupado com a situação do seu pequeno negócio, certo? E tenho certeza de que já te disseram para manter a calma e ser racional, mas, provavelmente, ninguém “segurou a sua mão” (de forma virtual e sem desrespeitar o isolamento social, claro) e te ajudou a pensar em como você pode reverter a situação. Mas não se preocupe: nós da BuyCo. estamos como vocês e preparamos dicas que realmente podem salvar seu pequeno negócio!

Avaliar custos e despesas do seu pequeno negócio

Nesse momento, é fundamental que o empreendedor conheça a fundo todos os seus custos e despesas e seja capaz de avaliar quais deles são realmente imprescindíveis para o negócio continuar funcionando. Assim, torna-se possível priorizar apenas o essencial e cortar ou reduzir aquilo que é possível viver sem.

foto-de-pessoa-usando-a-calculadora-para-apurar-custos-e-despesas-de-um-pequeno-negocioPor isso, você pode fazer um balanço de todos os gastos fixos e variáveis durante os meses. Depois de apurados, veja se no final de cada mês você está tendo lucro ou prejuízo. Se você estiver lucrando, mesmo em tempos de crise, ótimo, apenas veja o que pode ser otimizado para não ter surpresas nos próximos meses. Se o resultado for negativo, comece a verificar o que pode ser alterado para a sobrevivência da empresa. Comece revisando onde estão sendo os maiores gastos para começar economizar.

Pensar na relação com os colaboradores

O governo federal publicou a MP 927/2020 com medidas que podem ser tomadas na relação entre empresa e funcionários durante a pandemia do novo coronavírus. Dentre elas estão: manter o funcionário trabalhando em home-office, dar férias, usar as horas extras e, até mesmo, demitir.

Assim, o pequeno empresário está autorizado a comunicar e pagar funcionário com apenas 48 horas de antecedência e dar férias aos empregados que ainda não tenham completado 12 meses de trabalho.

Outra medida provisória publicada diz respeito à redução de jornada de trabalho e, consequentemente, de salário, ou, até mesmo, a suspensão do contrato de trabalho. Por isso, fique de olho nas notícias para ver o que você pode ou não fazer com sua equipe.

Uma alternativa interessante para aqueles que querem manter as operações e não desejam demitir funcionários, é criar competições de vendas entre seus funcionários ou aproveitar esse tempo para fazer treinamentos. Além de estimulá-los e torná-los mais qualificados, será possível ver reflexos positivos no faturamento (agora e futuramente).

Usar as mídias sociais para tornar seu pequeno negócio mais conhecido

A presença digital é quase uma obrigação para as empresas em tempos de coronavírus. Por isso, use-a a seu favor. Assim, se seu cliente não vai até você, você tem que ir até ele neste momento que todos estão mais reclusos!

As mídias sociais são uma solução rápida e barata para iniciar sua estratégia digital. Crie perfis empresariais nas principais plataformas, ofereça serviços exclusivos e cupons de desconto, interaja com seus clientes e mostre que você está à disposição para ajudá-lo nesse momento que não está fácil para ninguém.

Além de divulgar sua marca e prospectar mais clientes, você ainda vende seus produtos. Aventure-se também nas plataformas de vendas online. Se ainda não pensou nessa estratégia, está na hora de tomar essa iniciativa e inserir no mundo digital. Avalie as diferentes opções disponíveis no mercado e escolha aquela que mais se adequará ao seu modelo de negócio.

No caso dos negócios ligados à alimentação fora do lar, por exemplo, os aplicativos de delivery tornaram-se indispensáveis para manter as vendas. Bares e restaurantes que tinham resistência em adotar esse modelo, estão tendo que rever suas estratégias e se adaptarem.

foto-de-pessoa-usando-as-redes-sociais-para-divulgar-seu-pequeno-negocioTenha em mente que o fato de as pessoas estarem em casa não quer dizer que não estejam comprando. Pelo contrário, elas estão conectadas nas redes sociais e sempre recebendo novidades e promoções que vão rapidamente despertando interesses. Por mais que a demanda para alguns itens tenha caído, para outros ela tem aumentado. Entenda o que seu público precisa e comece a vender, mesmo que num patamar menor!

Negociar com fornecedores

Com a queda do faturamento, você precisa negociar com seus fornecedores prazos e condições melhores de pagamento para conseguir cumprir com seus compromissos. Não tenha medo, todas as empresas estão fazendo isso e, grande parte dos fornecedores está aberta a negociações. Pense: o não você já tem, certo? O sim você pode conseguir!

Essa negociação pode ser o fôlego necessário para você enfrentar os próximos meses, mantendo em dia os custos e despesas que realmente não podem ser negociados. Faça alguns ajustes nos contratos já existentes ou busque novos fornecedores que estejam dispostos a te ajudar.

Além disso, o pequeno empresário precisa ajustar sua produção, afinal, espera-se que as vendas sejam menores nos próximos meses. Por isso, as compras junto a fornecedores também devem ser menores. Faça um plano de negócios com metas, ações claras e indicadores de acompanhamento.

Repensar o relacionamento com consumidores

Quem não gosta de cupom de desconto, não é mesmo? Por isso, pense e coloque em prática cupons de promoções, vantagens na forma de pagamento e campanhas periódicas para atrair seu público-alvo. Esteja realmente presente, afinal, quem não é visto, não é lembrado!

Algumas outras estratégias envolvem descontos aos clientes que efetuam o pagamento em dia. Para clientes que estão inadimplentes, peça ao setor de cobrança para entrar em contato e negociar a dívida ativa.

Avaliar os tributos

O governo federal anunciou algumas medidas para ajudar os pequenos negócios a sobreviverem diante da crise. Entre elas, está a postergação do vencimento de alguns tributos federais.

Conforme regulamentação, os pagamentos de tributos federais como o Simples Nacional e o MEI foram postergados durante os meses de abril, maio e junho. Dessa forma, os mesmos deverão ser pagos em outubro, novembro e dezembro. Já o pagamento do FGTS com vencimento em abril, maio e junho também foi prorrogado e poderá ser parcelado em até seis (06) vezes, com vencimentos a partir de julho.

Essa prorrogação visa beneficiar 4,9 milhões de empresas optantes pelo Simples Nacional, bem como, 9,8 milhões de MEI, conforme dados do Sebrae.

Contar com a ajuda dos bancos

foto-de-pessoa-indo-ao-banco-pedir-ajuda-para-seu-pequeno-negocioA Federação Brasileira de Bancos anunciou que os maiores bancos irão prorrogar vencimentos de dívidas dos seus clientes (pessoas físicas e MPEs) por 60 dias. A medida será válida para contratos que estejam em vigência e sem pagamentos atrasados.  Lembrando que cheque-especial, cartão de crédito, tributos e boletos de água, luz e telefone não estão incluídos na prorrogação.

Cada instituição bancária irá definir o prazo e as condições dos novos pagamentos. O Banco do Brasil, por exemplo, prorrogou as próximas duas parcelas para o final do contrato. Os demais bancos ainda não anunciaram.

Aproveitar o ambiente

Usufrua ao máximo do seu espaço. Inove e pense em como pode aumentar sua renda no seu atual espaço. Afinal, você está pagando aluguel então tem que saber aproveitar todo espaço. Veja se é cabível a mudança de horário e a possibilidade de acrescentar algo novo no local. Seja criativo!

Outra alternativa é aproveitar o tempo de menor fluxo de pessoas para fazer aquela reforma ou reparo que você sempre quis e nunca teve tempo. Assim, quando as coisas forem retomadas, você estará com um ambiente ainda melhor para atender seus clientes!

E aí, gostou das nossas dicas? A BuyCo. está estudando constantemente diversas medidas que os pequenos empresários possam sobreviver à crise. Conte conosco e vamos juntos enfrentar essa pandemia!

QUERO SABER QUANTO VALE MINHA EMPRESA!

Caso sua empresa tenha um porte maior, não se preocupe. A BuyCo. já criou soluções para te atender. Quer saber mais? Então é só clicar aqui e entrar em contato!

anunciar-minha-empresa

Como anunciar minha empresa para a venda?

Múltiplo de EBITDA: o que é e como usar no Valuation

Fluxo de Caixa Descontado (FCD): o que é, para que serve e como calcular