Banner Blog

Revolucione seu conhecimento.

Avaliação de Empresas pelo Método dos Múltiplos

metodo-dos-multiplos

Como vimos diversas vezes aqui no Blog, a avaliação de empresas pode e deve ser feita através de diversos métodos de forma a garantir que o resultado seja o mais próximo preciso possível. Assim, dentre eles, existe o Método dos Múltiplos, um dos mais simples, rápidos e práticos. E aí, você já o conhece? Ainda não?

Então calma, não se preocupe. No artigo de hoje você vai conhecer o Método dos Múltiplos para avaliar a sua empresa, bem como os cuidados para utilizá-lo. Se ficar alguma dúvida, basta deixar para a gente ao final do artigo que vamos sanar todas elas. Conte conosco!

Se você ainda não sabe o que é a avaliação de empresa, clique aqui!

Então, vamos lá? Boa leitura!

O que é o Método dos Múltiplos?

Os Múltiplos são instrumentos de avaliação de empresas vistos como referências em compra e venda de empresas. Então, seu objetivo é alinhar o valor da empresa, através de uma comparação de valores de outras empresas semelhantes. Legal, não é?

Logo, os múltiplos são valores padronizados de ativos, de maneira que se possam comparar empresas do mesmo setor ou do mesmo porte de alguma forma entre si, tornando-se assim, referências para que não haja sobre ou sub valorização em relação ao mercado.

Em geral, agrupamos empresas em termos de risco, de crescimento e de potencial de geração de resultado semelhantes.

Por isso, esse método é usado quando existem ativos comparáveis similares e quando se necessita de uma análise rápida e de fácil interpretação.

foto-de-mulher-calculando-em-sua-calculadora-com-lapis-papeis-e-computador-o-metodo-dos-multiplosEla reflete a expectativa de retorno esperada pelo mercado para um determinado grupo de ativos. Por isso, ele é ideal para empresas com elevada concentração na carteira de clientes e/ou pertencentes a um mercado com baixa concorrência.

 

 

Assim, ao se criar um múltiplo, os valores da empresa são confrontados com os dados padronizados do mercado para encontrar o valor da empresa através de uma comparação do desempenho econômico-financeiro de empresas similares.

Assim, a avaliação pelo Método dos Múltiplos é um método baseado em valores relativos, uma vez que são usados os múltiplos de outras empresas similares para estimar qual deve ser o valor da empresa que está sendo avaliada.

A precificação se dá em comparação com o valor de seus pares, pressupondo que o valor de um ativo deve ser próximo a outros semelhantes. Por isso, é importante definir quais serão os pares, ou seja, as outras empresas comparáveis para criar uma média.

O método desconsidera valores fora da curva para não distorcer resultados, bem como empresas que não se assemelham com as atividades chave da empresa.

Como calcular o valor da empresa através do Método dos Múltiplos?

A fórmula para calcular qualquer múltiplo é a divisão entre dois fatores, sendo o valor de mercado o numerador, e a variável que gerou a relação entre as empresas, o denominador. Legal, não é? Confira a fórmula abaixo:

MÚLTIPLO = VALOR DE MERCADO/VARIÁVEL

Ao determinar um múltiplo, gera-se uma faixa de valor que o mercado estaria valorando os ativos.

Cada múltiplo gera uma faixa, cabendo ao avaliador determinar qual múltiplo usar em determinado setor para criar uma análise que se aproxima do valor real. Em geral, cada setor possui um ou dois indicadores específicos.

Vale lembrar que é importante atrelar o método dos múltiplos a outros métodos de forma a gerar uma avaliação mais assertiva considerando outras variáveis, como o risco, a taxa de crescimento, o potencial de fluxo de caixa, entre outros.

Além disso, o método não leva em conta os diferenciais competitivos, os estilos de gestão e a capacidade de escala das empresas.

Nos dias atuais, diversas empresas brasileiras adotam de forma errada como referência os múltiplos internacionais. Porém o Brasil é, de uma forma geral, um país único com leis empresariais que muitas vezes tornam as operações positivas em análises internacionais e negativas na prática do nosso país.

Os múltiplos internacionais apresentam o valor de empresas já maduras e que, em grande parte, já estão em fase de estabilidade (oferecida pelo próprio país), ao contrário de muitas empresas brasileiras, que por serem jovens, não fornecem a confiabilidade necessária.

Além disso, as questões regulatórias, fiscais e de perspectiva econômica podem gerar viés.

O reflexo pode ser ainda mais catastrófico em se tratando de empresas brasileiras de pequeno e médio porte, pois estas crescem a taxas exponenciais.

Tipos de múltiplos mais utilizados

Existem diversos múltiplos de mercado, dentre os mais conhecidos, e que você já pode ter visto, temos:

(1) Valor da empresa/ EBITDA;

(2) Valor da empresa/ Lucro Líquido;

(3) Valor da empresa/ Faturamento.

Em que o valor da empresa resulta da soma do valor de mercado da companhia com sua dívida de curto e de longo prazo, desse resultado é subtraído o valor das disponibilidades do ativo circulante.

Já o EBITDA é a sigla de Earning Before interest, taxes, depreciation and amortization que em português significa Lucros antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização (LAJIDA). Ele indica a capacidade de geração de caixa operacional de uma empresa.

Faturamento é a soma de todas as vendas, incluindo os produtos e os serviços, que uma empresa realiza em determinado período. Já o lucro líquido é o rendimento real de uma empresa, calculado como a diferença entre a receita total e o custo total.

Além disso, os múltiplos se classificam como:

1) Múltiplos de lucro

Este é o mais conhecido e popular entre o método dos múltiplos. Por isso, é muito comum encontrar análises que apresentam múltiplos de Preço/Lucro (P/L ou P/E) de empresas. Você já viu?

O mais comum que você pode encontrar por aí é o Preço por ação (P) dividido pelo Lucro por ação (L), que evidencia quanto tempo é necessário para recuperar o capital usado na compra de uma ação através do recebimento de lucros gerados. Nesse caso, empresas com baixo índice tendem a valer menos. Porém, existem outros tipos que consideram outros elementos, por exemplo, o EBITDA no lugar no lucro. Legal, não é?

2) Múltiplos de valor patrimonial

Este é um múltiplo que se baseia no valor de mercado dividido pelo valor do patrimônio líquido da empresa. Nesse caso, busca-se evidenciar quanto tenho de valor de mercado para cada 1 real de patrimônio líquido. Espera-se que o índice seja maior que 1 para que a empresa tenha valor superior à soma dos seus ativos. Faz sentido, não é?

3) Múltiplos de receita

Este múltiplo é muito interessante para comparar as empresas que atuam em mercados diferentes onde existam regras contábeis diferentes. Pois, como a receita é a primeira linha do resultado, ela sofre menos influência das regras contábeis. Legal, não é?

Enquanto que os múltiplos de lucro e valor patrimonial têm seus cálculos mais influenciados pelas regras contábeis.

4) Múltiplos setoriais

Enquanto os múltiplos de lucro, de valor patrimonial e de receita se aplicam entre empresas de setores diferentes, os múltiplos setoriais se restringem a comparação de empresas do mesmo setor devido ao grau de especificidade.

O exemplo clássico é o da bolha da internet na década de 90. Você se lembra? Na época, como as empresas possuíam lucros e receitas muito baixas, as avaliações tinham como base o valor de mercado/cliques. É preciso muita atenção para utilizar este múltiplo, pois a falta de parâmetro com outras comparáveis pode gerar falsas impressões, não é mesmo?

Entendeu sobre os principais múltiplos e como eles se classificam? Ótimo! Então agora vamos ver alguns cuidados na hora de usar o método dos múltiplos. Confira!

Cuidados essenciais ao utilizar o método dos múltiplos para avaliar sua empresa

O método dos múltiplos é muito utilizado por ser simples e fácil. Porém, possui algumas limitações, o que exige alguns cuidados para contornar suas deficiências. Então, veremos abaixo quais são eles.

Os valores devem ser padronizados e as comparações devem ser feitas com empresas similares. Por mais que não existam empresas idênticas, é preciso encontrar empresas com as características mais similares possível, evitando divergências substanciais. Faz sentido, não é?

Além disso, índices estão sujeitos a vieses de interpretação, sendo essencial verificar se as métricas refletem o que se quer mensurar e se as amostras têm tamanho suficiente.

Cabe ressaltar que os múltiplos são calculados com base em dados contábeis, estando sujeitos às diferentes formas de contabilização, o que exige ajustes para a comparação. Ou seja, os valores devem seguir o mesmo padrão.

Ademais, por utilizarem dados passados, os índices não consideram o futuro do negócio. Para encontrar um valor mais preciso, adicione tais perspectivas.

foto-de-homem-calculando-o-metodo-dos-multiplos-em-sua-calculadora-diante-de-graficos-e-tabelasNem todos os dados são disponíveis de forma pública, fazendo existirem falhas que dificultam análises perfeitas. Isso faz com que os índices não reflitam as expectativas de mercado e o valor da empresa seja diferente da realidade.

Se o cálculo utilizar dados não confiáveis ou de empresas não comparáveis, o resultado fica distorcido.

E, por último, assim como é fácil usar o método dos múltiplos, também é fácil cair em armadilhas, por isso, sempre consulte um profissional para uma opinião mais fundamentada, bem como, utilize outros métodos de forma complementar.

O Método BuyCo., não contempla métodos destinados a grandes empresas. Saiba mais em:

QUERO SABER QUANTO VALE MINHA EMPRESA!

Caso sua empresa tenha um porte maior, não se preocupe. A BuyCo. já criou soluções para te atender. Quer saber mais? Então é só clicar aqui e entrar em contato!

anunciar-minha-empresa

Como anunciar minha empresa para a venda?

Múltiplo de EBITDA: o que é e como usar no Valuation

Fluxo de Caixa Descontado (FCD): o que é, para que serve e como calcular