Banner Blog

Revolucione seu conhecimento.

Como fazer uma estratégia de M&A bem fundamentada

estratégia-de-M&A

Em artigos anteriores já falamos sobre o termo M&A, o seu significado e as possíveis operações dentro do universo de Fusões e Aquisições. Você já realizou alguma operação de M&A e sabe se foi feito o máximo de potencialização para que a operação tivesse os melhores resultados possíveis? Você sabe como fazer uma estratégia de M&A bem fundamentada?

No artigo de hoje, vamos falar algumas dicas para fazer uma estratégia de M&A bem fundamentada. Assim, o seu processo de M&A será mais bem sucedido e vai trazer mais resultados.

Então, vamos lá? Boa leitura!

Estratégia de M&Apessoas-analisando-relatorios

Existem vários motivos pelos quais empreendedores ou donos de negócio realizam alguma operação de M&A. Seja para expandir e acelerar o crescimento, ou para lucrar mais. Não importa o motivo, quando chega a hora de vender a empresa, ou de realizar alguma fusão e aquisição, os profissionais costumam cair no universo de M&A de paraquedas. Possuem poucas informações e expertise, pouca ou nenhuma experiência no assunto.

Assim, quando vão fazer alguma dessas operações de M&A, não há muito planejamento, nem estudo de mercado. E a falta de estratégias também pode levar profissionais a fazerem um M&A com poucos resultados.

Ao invés disso, esses mesmos profissionais, podem usar de estratégias agressivas que são usadas no mercado. Por isso, nesse artigo vamos falar de alguns fatores e dicas, coletadas por Aaron Davis, CEO da AMD Enterprises, um conglomerado de empresas comerciais.

Vamos conhecer agora alguns desses fatores e dicas para potencializar sua estratégia de M&A?

Planejamento de uma estratégia de M&A

Todo processo de M&A precisa ser bem planejado e estruturado. Afinal de contas, estamos falando de todo um histórico da empresa e todo um estudo e análise por trás disso. Como qualquer outro processo, não deve-se ir direto ao final, buscando resultados de forma rápida. O processo deve começar do inicio. E esse processo inicia-se no ‘’porque’’.

Para aqueles empreendedores que estão se aposentando, esse porque é muito simples de ser respondido. No entanto, para outros, essa resposta pode ser mais difícil. Existem diversos motivos para vender uma empresa, ou para realizar uma operação de M&A. Como, por exemplo, o objetivo de fazer o negócio crescer de forma mais acelerada. Além do porque, é preciso fazer algumas perguntas que discorram melhor esse motivo.

Ao passo que os motivos forem revelados e os objetivos desenvolvidos, é um bom momento para começar a coletar dados e a definir a estratégia de M&A.

O próximo passo é coletar informações sobre o dono do negócio, sua motivação por trás da venda, e até mesmo, a forma como ele trata o negócio e o potencial comprador da empresa!

Outro elemento importantíssimo no planejamento da estratégia de M&A é o conhecimento e a experiência. Para os donos de negócio, que já tiveram algum contato com o processo de M&A, será mais vantajoso sobre aqueles que nunca tiveram.

No entanto, isso não significa que uma pessoa que nunca teve contato com M&A não consiga realizar uma boa operação. Sendo assim, para garantir que tudo saia como planejado, é sempre importante contar com a ajuda de uma pessoa que pertença a esse mundo de fusões e aquisições, como por exemplo, um consultor.

estratégia-de-M&AConheça seu comprador ou vendedor para fazer uma boa estratégia de M&A

Para os donos de negócio, que procuram o maior múltiplo possível na venda das suas empresas e o melhor resultado possível da negociação, é preciso que, além de ter um bom planejamento, esses donos de negócio conheçam a si mesmo. E para além disso, conheçam bem o seu comprador ou vendedor.

Nesse entendimento, o dono do negócio deve saber e entender suas próprias expectativas em relação à venda do negócio, saber suas motivações e porquês. Além disso, o proprietário deve conhecer as expectativas do comprador ou vendedor também. Assim, os dois lados podem alinhar suas expectativas em relação à negociação e à venda.

Existem alguns tipos de compradores no mercado e cada um deles procura algo diferente e valorizam o negócio de diversas formas.

E pelo outro lado da moeda, o vendedor deve expressar sua motivação e informar sua estratégia. Aquele vendedor que estiver demonstrando pouca ou nenhuma motivação em ajudar o comprador na transição, de forma provável, está mostrando que essa transição será mais difícil, do que a de um vendedor que contribui durante todo o processo.

Entretanto, existem vendedores que estão tão motivados e estarão dispostos a ficar por pelo menos alguns meses (e chegam a ficar até anos) acompanhando o negócio, para garantir que o seu legado permaneça forte. Esses vendedores costumam ser donos que passaram anos construindo a empresa e querem ter certeza que o negócio ficou em boas mãos. Por isso, esses proprietários avaliam os potenciais compradores, avaliam sua integridade, reputação, cultura, antes de vender para eles.

Due Dilligence

Esse é um termo que possui diversos significados, dependendo do nível de experiência e conhecimento, que o comprador e vendedor têm em transações de M&A.

Mas o que é Due Dilligence? É o processo de revisão das informações fornecidas pelo dono de uma empresa que está à venda, pelo comprador, antes de efetivar a compra de fato da empresa.

O objetivo desse processo é validar e confirmar os dados financeiros, os documentos, contratos compartilhados, a fim de reduzir os riscos no processo da compra e venda.

E é nesse momento que muitos compradores não observam alguns fatores muito importantes. Como, por exemplo, o desempenho, sistemas operacionais e de produção, os impulsionadores do sucesso de um alvo, ou falta dele. Então, é muito importante que o comprador fique atento à esses indicadores.

Deve-se ficar atento à revisão das políticas, às ferramentas de conformidade e, até mesmo, à segurança cibernética (ou a falta dela). Essas análises irão deixar a sua estratégia de M&A mais forte.

Outra preocupação comum durante o processo, é sobre o potencial de crescimento da empresa. É importante revisar todos os anos de finanças que a empresa tiver. Comparar o histórico passado com o atual. A empresa costumava ser maior ou cresceu com o passar dos anos? A empresa demonstra potencial para crescer ainda mais? Diversas perguntas devem ser feitas nesse momento também.

É importante ficar de olho nesses indicadores e nesses fatores. Afinal de contas, após a transação, ninguém quer descobrir número de desenvolvimentos desagradáveis e que matem o ROI, certo? Então, não perca nada durante o due dilligence, para não acabar tendo surpresas negativas depois.

E, por fim, é importante revisar os contratos de serviço! Entenda o programa de conformidade em vigor. E também investigue se já foram implantados sistemas que protejam o negócio contra ataques cibernéticos.

ROI

O ROI, ou Retorno sobre Investimentos, é um indicador que diz quanto dinheiro você está ganhando ou perdendo com seus investimentos.

Para empreendedores que iniciam uma estratégia de crescimento, determinar um ROI preciso em novas aquisições é um esforço bastante desafiador.

Na hora de determinar um ROI, é preciso considerar alguns elementos e fatores. Como, por exemplo, a aquisição de uma empresa com marca consolidada e conhecida pode ser mensurável em parte por sua receita, e é importante relembrar que o valor da marca também vai ser adquirido.

Um erro muito cometido por donos de negócios inexperientes com M&A é medir o ROI de forma rápida ou ter metas muito grandes. É importante esperar, também, um prazo de dois anos para avaliar se suas transações irão garantir um número mais preciso.

Não há duas fusões ou aquisições iguais.

A experiência e o conhecimento irão desempenhar um papel de suma importância quando estamos falando de fusões e aquisições. É importante também considerar todas as variáveis possíveis, e tirar proveito de ferramentas que não pareçam assim tão importantes, mas que, de alguma forma, serão relevantes para o processo de M&A.

E por fim, saiba usar essas ferramentas que você tem a seu favor!

Avaliação/Valuationestratégia-de-M&A

A avaliação de empresas ou Valuation é uma parte indispensável em um processo de M&A.

Antes de colocar um número na venda do negócio ou oferta final, é preciso ter uma boa compreensão de vários fatores. Como, por exemplo, as condições de mercado, tanto atualmente, quanto a previsão de mercado em alguns anos. Além disso, estudar como está o estado do mercado de fusões e aquisições.

Observar se o mercado da empresa que está sendo vendida está em alta. O que essa empresa possui de atrativo que os concorrentes não possuem. Essas questões irão aparecer na hora de fazer um Valuation e é preciso ter uma visão ampla e uma compreensão de todos esses fatores.

Para fazer uma boa avaliação, considera-se alguns indicadores do negócio:

Como, por exemplo, EBTIDA, o crescimento, o potencial de geração de caixa, a situação financeira, os ativos (tangíveis e intangíveis), entre outros indicadores, que ajudaram ao máximo na hora de estimar um valor justo para a empresa.

Empresas de private equity tendem a buscar um ROI de alto potencial, e isso começa com o EBITDA (ou LAJIDA). Já alguns agentes de títulos, começam verificando a receita bruta. As formas de avaliar mudam de acordo com o que cada um procura e por quê.

Como, por exemplo, um negócio com receita bruta forte, mas margens baixas, tem um enorme valor para o agente adquirente que planeja empregar uma equipe de administração e um modelo de produção mais eficiente. Nesse caso, o EBIDTA não fornece um verdadeiro roteiro para os melhores alvos.

Então, o modelo de avaliação deve ser mais aprimorado. O Valuation deve conter o que um comprador experiente considere em sua própria avaliação da empresa. Tudo começa sabendo quem pode estar interessado em comprar o negócio. Também é fundamental entender a motivação desses potenciais compradores, e também entender o que eles consideram ser os elementos mais valiosos do seu negócio. Dessa forma, o Valuation deve conter indicadores e dados que sejam valorizados por potenciais compradores, esses elementos podem aumentar o valor da sua empresa aos olhos desses compradores e investidores.

Ao final dessas análises e estudo, têm-se uma oferta final justa e um relatório que contém dados que valorizem a empresa!

estratégia-de-M&AE aqui fica uma dica muito importante, não tente fazer o Valuation por conta própria! 

Não tente fazer o Valuation por conta própria, além de ser um processo estressante e muito complicado, dificilmente você conseguirá chegar ao valor da sua empresa por conta própria.

Conte com a ajuda de consultores de M&A! Isso irá facilitar muito o processo como um todo, já que você estará recebendo apoio de pessoas especialistas e experientes no assunto. Ainda, o consultor de M&A irá buscar potenciais compradores para seu negócio. Nesse casso, empresas que são conhecidas por estarem no mercado costumam ser as mais propensas a receberem commodities cobiçadas. Já que, empresas de consultoria despertam o interesse de um mercado mais amplo.

E por fim, conte com a BuyCo. para te ajudar!

Se você decidiu vender sua empresa, ou fazer alguma operação de M&A, o Valuation vai ser uma ferramenta poderosa para você! A BuyCo. conta com o suporte de especialistas em avaliação de empresas para avaliar sua empresa e te ajudar ao longo de todo o processo!

Além de gerar o valor justo da sua empresa, a avaliação contém estudos e análises, e com ela é possível obter dados muito relevantes sobre a empresa. Como, por exemplo, o histórico da empresa, a saúde financeira e os detalhes sobre o negócio. Além disso, nossos especialistas em M&A irão valorizar seu relatório, colocando elementos que atraiam potenciais compradores e investidores!

E lembre-se que, esses compradores irão solicitar a avaliação da empresa para descobrir mais sobre o negócio, e a situação real dele. Dessa forma, os compradores poderão entender melhor como o negócio opera. Então, é de suma importância fazer uma avaliação da sua empresa.

E, afinal de contas, sem um laudo de Valuation, sua empresa não vale nada, certo? Então, faça uma avaliação da sua empresa hoje mesmo! Para saber mais, basta clicar aqui e entrar em contato!

Além disso, a BuyCo. têm um método próprio, para estimar quanto vale sua empresa, em apenas 5 minutos e de forma digital, segura e gratuita. Para saber mais clique no botão abaixo:

ACESSAR A CALCULADORA DE VALUATION

relaçao-contratual-no-mEa

Relação Contratual no M&A: Documentos Precisos

calculadora-de-valuation-vale-a-pena

Por Que a Calculadora de Valuation Vale a Pena?

Contabilidade

Contabilidade: Dicas Para o Seu Negócio!